Manutenção

Os benefícios da atuação preventiva

A NBR 5674/2012 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) indica que a manutenção deve ser feita a partir de um plano de gestão, ou seja, uma estratégia que define como elas devem ser feitas. Ainda de acordo com essa norma, as manutenções são classificadas em preventivas, preditivas, corretivas e detectivas.

A manutenção preventiva, como o próprio nome diz, é aquela que atua de forma antecipada para que não seja necessária a reparação intensa da motobomba. Essa atuação preventiva deve ser feita em datas programadas e atender aos critérios técnicos e administrativos com base no histórico das demais manutenções realizadas.

A manutenção preventiva envolve avaliações, ajustes, limpeza, identificação de ruídos e verificação de alertas nos quadros elétricos. Tudo isso vai ajudar a detectar problemas futuros.

Já a manutenção preditiva é a que objetiva o estudo e analisa o comportamento dos equipamentos para prever eventuais problemas. A corretiva é a que atua já no correção da bomba, implicando a paralisação do funcionamento e a detectiva é a que apura a causa das falhas e demais problemas que apareceram no equipamento.

Não mais importante que as outras, mas merecendo destaque, a manutenção preventiva proporciona benefícios indiscutíveis para as bombas, como:

1. Redução de custos

A manutenção preventiva pode contribuir para uma redução de custos com a manutenção em geral, que varia de 50 a 80%, bem como para o aumento dos lucros em indústrias e empresas, que pode chegar a 60%. Além disso, a redução de horas extras destinadas a manutenção costuma cair de 20 a 50%, principalmente em indústrias e empresas de atividades agrícolas.

2. Aumento da vida útil da motobomba

Ao realizar a manutenção preventiva, a vida útil das bombas também costuma crescer de 20 a 40%, e consequentemente reduzindo em até 30% os estoques de bombas sobressalentes nas indústrias e empresas.

3. Diminuição das falhas

A manutenção preventiva é ainda benéfica em relação a diminuição das falhas. Os equipamentos que sofrem manutenção prévia tendem a apresentar uma queda de problemas que chega a alcançar entre 50 e 60%.